Nutes entrega primeiros equipamentos produzidos através da Parceria para o Desenvolvimento Produtivo

A Bahia e o Rio de Janeiro foram os primeiros estados a receberem os equipamentos produzidos pela Parceria para o Desenvolvimento Produtivo (PDP), da qual faz parte o Núcleo de Tecnologias Estratégicas em Saúde (Nutes) da _RIS3655UEPB, a empresa de dispositivos médicos Lifemed e o Departamento do Complexo Industrial e Inovação em Saúde (DECIIS) do Ministério da Saúde. A entrega foi feita nos dias 21 e 23 nos almoxarifados das secretarias estaduais de saúde pelos coordenadores da PDP, o engenheiro eletrônico Jean Pereira Fernandes e o pesquisador do Nutes, Paulo Barbosa. A Bahia recebeu 42 desfibriladores cardíacos e 40 monitores de sinais vitais multiparamétricos, enquanto o Rio de Janeiro foi contemplado com 40 desfibriladores e 39 monitores. Os equipamentos vão ser inseridos na rede de atendimentos aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).

F2Com a entrega, o Nutes/UEPB torna-se pioneiro no país a consolidar a primeira PDP de equipamentos médicos, fato que foi ressaltado pelo Ministro da Saúde, Ricardo Barros, na reunião do Grupo Executivo Complexo Industrial da Saúde (GECIS), realizada em Brasília, no dia 14 de dezembro. “Registramos que a primeira PDP de equipamentos médicos está sendo realizada com sucesso e o SUS vai receber esses produtos que vão melhorar a qualidade do atendimento aos pacientes”, ressaltou na reunião.

A PDP entre Nutes/UEPB, Lifemed e Ministério da Saúde foi firmada em 2013 e visa a cooperação mediante acordo entre instituições públicas e entidades privadas para desenvolvimento, transferência e absorção de tecnologia, produção, capacitação produtiva e tecnológica do país em produtos estratégicos para atendimento às demandas do SUS. “É um momento muito importante que ratifica nosso potencial tecnológico e coloca a UEPB num cenário de destaque por ter sido a primeira universidade a consolidar com excelência uma PDP de equipamentos médicos no país”, destacou o coordenador geral do Nutes, Misael Morais.

Nesta primeira fase os dispositivos médicos são testados e validados pelo Nutes e fornecidos ao Ministério da Saúde. DSC_0126Na próxima etapa, os equipamentos serão produzidos na fábrica escola que será construída na UEPB. “A parceria vai promover impactos científico, tecnológico e econômico para toda região. Com a produção de produtos de base tecnológica no setor de saúde estaremos contribuindo para o crescimento regional, além de fixar mão de obra qualificada”, acrescentou o coordenador do Nutes.

As PDPs, além de ampliar o acesso da população a produtos estratégicos, incentiva o desenvolvimento tecnológico e a racionalização do poder de compra do estado, visto que SUS é um dos maiores sistemas públicos de saúde do mundo e o atendimento realizado pela rede gera grande impacto no mercado de saúde brasileiro, representando mais de 50% do mercado de equipamentos hospitalares.

 

Related posts